Município
Apresentação
Como Chegar
Cultura
Dados Gerais
Fotos Antigas
Fotos atuais
Hino Municipal
História
Símbolos Municipais
A Câmara
Código de Ética Parlamentar
Estrutura Funcional
Ex-Vereadores
Fotos da Câmara
Galeria de Presidentes
Págima Câmara na Escola
Regimento Interno
Vereadores
Biografias
Comissões Permanentes
Mesa Diretora
Legislação
Código de Posturas
Estatuto dos Servidores Públicos de Pedralva
Lei Orgânica
Leis Ordinárias de Pedralva
Portarias
Geral
Fale Conosco
Telefones Úteis
Câmara Informa
Demonstrativo Financeiro
Folha de Pagamento
Horário de reuniões
Licitações
Portal da Transparência
Relatório Final de Comissão Especial
Requerimentos de Vereadores

 





QUAL O PRINCIPAL ATRATIVO DE NOSSA CIDADE?

Suas belas paisagens
A hospitalidade do povo
Suas festas tradicionais
A entrada da cidade



 

SESSÃO SOLENE DA CÂMARA MUNICIPAL HOMENAGEIA CIDADÃOS PEDRALVENSES COM A

A Câmara Municipal  se reuniu em sessão solene para mais uma edição da entrega da "Medalha do Mérito Legislativo" a cidadãos de Pedralva.

A outorga da Medalha do Mérito Legislativo é uma homenagem que o Poder Legislativo presta, anualmente, a pessoas, indicadas pelos vereadores em exercício, que tenham se destacado por sua atuação em benefício da comunidade e por sua atuação exemplar na vida pública e particular. 

Foram 8 cidadãos homenageados: Herculano Ribeiro de Oliveira, Jaime Sevilo Vilas Boas, João Ivo dos Reis, José Edson Gomes, Marcos Ulisses da Silva, Miguel Sérgio Piazza, Sebastião Bonette e Sebastião Tarcísio Raimundo.

Histórico:

Herculano Ribeiro de Oliveira

Nasceu em 31 de outubro de 1951, no Bairro Sertãozinho, filho de José Ribeiro de Carvalho e Maria Oliveira de Carvalho. Possui 13 irmãos, sendo 11 homens e 2 mulheres.

Estudou até a quarta séria na escola do Bairro Sertãozinho, que na época se chamava escola Dona Josefina, tendo sido sua professora a senhora Sonia Rezende Abreu. Após concluir a quarta série, fez um curso que foi ministrado no bairro pela senhora Marlene José de Carvalho.

Começou a trabalhar na roça desde pequeno, com 7 anos já ajudava seu pai a capinar milho, feijão, fumo e arroz. Também ajudava a tirar leite. Aos 16 continuava ajudando sua família nos afazeres da roça, ao mesmo tempo que começou a mansar boiada e arar terra para o plantio.

Em 1973, foi para São José dos Campos, onde trabalhou na Fiel, fábrica que produzia fios para diversas finalidades. Lá ficou por pouco tempo e retornou para a roça.

Aos 24 anos, casou-se com Clarisse Aparecida Ribeiro e tiveram um casal de filhos: Andréia Ribeiro Abreu, casada com Roberto Rezende Abreu, e André Fernando Ribeiro, casado com Michelle Alencar Ribeiro. Possui 3 netinhos: Rafael Ribeiro Abreu, Mikael Gaspar Ribeiro Abreu, Raberta Caldas Ribeiro Abreu, filhos de Andréa.

Depois de casado, trabalhou na lavoura de arroz e, neste período, na época da seca, trabalhou como pedreiro na construção de casas para diversas pessoas do Bairro Sertãozinho, de outros Bairros, da cidade e até da cidade de São José do Alegre.

Alguns anos depois, mudou de profissão, passando a dedicar a lavoura de café e banana e a criação de gado. Atividades que exerce até hoje.

Entrou para a polícia em 2000, quando se candidatou ao cargo de vereador pelo PFL, sendo eleito para o mandato de 2001 a 2004, com 182 votos. Durante seu mandato trabalhou em prol do Bairro Sertãozinho, conseguindo a construção de uma ponte de laje, para um local onde havia uma ponte muito precária. Também batalhou e conseguiu a construção de uma quadra de esporte, reforma do grupo escolar, e reforma de 4 pontes com a instalação de manilhão.

Apresentou vários requerimentos e indicações cobrando do executivo melhorias para o município, inclusive pleiteou junto ao DER construção de abrigos em toda extensão da rodovia que corta o Município de Pedralva e a pintura de faixas de sinalização no asfalto, que naquela época não existia.

Foi autor do requerimento que solicitou ao prefeito da época, que fosse feita coleta de lixo na zona rural, tendo seu requerimento sido executado.

Foi festeiro por duas vezes da Festa de São Benedito, realizada no Bairro Sertãozinho. Também foi festeiro da Festa de São Sebastião, na paróquia da cidade.

 

Jaime Sevilo Barbêdo 

O popular Jaiminho, nasceu no dia 11 de maio de 1965 no bairro das pitangueiras, município pertencente à cidade de pedralva, localizada no estado de minas gerais. Filho de Evaristo Clemente Barbêdo e Maria Vilas Bôas Barbêdo. Jaime veio ao mundo com o auxílio de sua madrinha Ana Vilas Bôas, conhecida como dona Nina do senhor Inácio, que realizou o parto em sua mãe.

Jaiminho desde sua infância é uma pessoa carismática, dedicada, prestativa, atenciosa, caprichosa e com um coração enorme para atender sua família, comunidade e o povo de forma geral.

Com sete anos de idade, Jaiminho iniciou seu estudo na escola que na época era chamada escola estadual do bairro pitangueiras, que depois, através de leis, resoluções e portarias da SEE (Secretaria de Estado de Educação)  e CEE ( conselho estadual de educação) foi municipalizada e recebeu uma nova nomenclatura a qual é atualmente: escola municipal Abel Evaristo de Villas Bôas.

Jaiminho era um aluno muito alegre, carismático, humorista, obediente, caprichoso, inteligente, detalhista e muito amoroso para com as professoras Benedita Ferreira Vilas Bôas e também a saudosa Irene Ferreira Vilas Bôas e coleguinhas. As professoras eram muito carinhosas, penteavam seu cabelinho, o pegavam no colo e demonstravam muito carinho, amor e afeto por ele. Jaiminho mostrava entusiasmo, sorrizo e prazer ao realizar as atividades propostas pelas professoras. Gostava muito de desenhar e expressar toda sua criatividade e imaginação através da arte. Adorava viajar, refletir e mergulhar profundamente no mundo da fantasia, do faz de conta e do famoso era uma vez contidos nas histórias de fadas, aventuras e de encantamento. Jaiminho ficava admirado  ao ver a professora contando história com sua entonação de voz doce, meiga e principalmente mágica. O silêncio na sala de aula durante a contação de historia era o momento oportuno para jaiminho ouvir, apreciar os fatos e cenas das histórias, sentia-se como um personagem da própria história contada.

Jaiminho gostava também da disciplina de matemática, de colocar em prática toda sua capacidade de raciocinar, pensar e planejar. Em suas primeiras continhas ele contava nos dedinhos, continhas estas que são de mais de menos e depois de multiplicação e de divisão. Jaiminho adorava calcular e fazer de seu caderninho uma verdadeira fonte de aprendizagem.

Na disciplina de história jaiminho gostava de recordar e aprender os movimentos, lutas e processos que aconteceram na história brasileira, gostava de cantar o hino nacional e fazer parte das apresentações históricas e culturais que tinham na escola, como por exemplo, teatros e hasteamento da bandeira.

Nas aulas de ciências e estudos socais jaminho adorava aprender os fatos e acontecimentos que aconteciam em seu país, região, estado, sua cidade e em seu bairro, como também adquirir conhecimentos sobre os fenômenos da natureza.

Quando chegava da escola, jaiminho ajudava seu pai a mexer com a criação, puxando trato para as vacas lá do bairro albertão que desde criança tem grande amor e amizade pelo povo daquela comunidade e também gostava muito de ajudar seu pai a engarrafar pinga no engenho que fabricava a famosa “pinga rádio” que até hoje várias pessoas daquela época ainda perguntam se existe a famosa pinga rádio”.

O pai de jaiminho adorava sua companhia na entrega da pinga em vários lugares, tais como, bairro fagundes, em São José do Alegre, Santa Rita do Sapucaí e na venda do senhor João Cota localizada no bairro contendas.

Depois de ajudar seu pai, jaiminho gostava de brincar de carrinho com seus amiguinhos e fazia até o barulhinho da buzina e do motor do carro em sua boca, desfrutando e vivendo aquele momento tão real, fantástico em sua vida. Que infância... !

Jaminho gostava muito de ajudar sua mãe quando arrumava e mexia com porco, pegava uma coisa pegava outra, corria pra lá e corria pra cá, ficava o tempo inteiro perto de sua mâe auxiliando-a no que era necessário, e comendo carne toda hora, sem ao menos prepará-la, ao redor do taxo num fogãozinho feito de tijolos e a lenha! Era uma grande alegria de sua mãe!

Gostava de frequentar a casa de seu tio Noé para assistir novelas, que até então era o único morador do bairro que tinha televisão naquela época. Jaiminho ajudava no circo “pavilhão em visitalma” em pitangueiras na venda de pirulitos, pipocas e doces e também adorava assistir a um espetáculo!

Quando jovem ajudava seu pai na lavoura de café, banana e cana de açúcar e no plantio de milho e outros derivados da agricultura.

Em 11 de maio de 1991 casou-se com Ana Maria Rangel Barbêdo,  com quem teve dois filhos Paulo Evaristo Barbêdo e Mariéli de Paula Barbêdo e junto com sua esposa continuou a trabalhar no campo com lavoura em regime de economia familiar.

Em 13 de junho de 1999 construiu em homenagem à sua mãe o santo cruzeiro do bairro pitangueiras com inauguração de uma procissão da capela Santa Luzia até o morro do cruzeiro, onde foi celebrada a santa missa pelo padre Edvar Rodrigues Rangel e de lá pra cá todo ano na sexta feira santa é feita uma procissão da cruz até o alto do cruzeiro, com a participação de vários padres de várias congregações, como diocesana, agostiniana e redentorista.

Em 1999, jaiminho foi nomeado no cargo de tesoureiro do CPCR (conselho pastoral comunitário rural) na comunidade Santa Luzia, no bairro pitangueiras, onde ficou por 12 anos na mesma função.

Em 2000 foi eleito para o cargo de vereador no mandato de 2001 a 2004.

Nos anos de 2001 á 2006 foi ministro da extraordinária comunhão.

Em 2002 conversou com várias pessoas da comunidade e visitou várias casas do bairro convidando para a reunião que iria tratar sobre a formação da associação comunitária do bairro pitangueiras, onde esteve presente mais de 100 pessoas e foi o indicado como tesoureiro da associação comunitária do bairro pitangueiras.

Em 2004 foi reeleito para o cargo de vereador para o mandato de 2005 a 2008.

Em 2008 foi eleito para o cargo de vice-prefeito para o mandato de 2009 a 2012.

Em 2012 foi eleito para o cargo de vereador para o mandato de 2013 a 2016. 

 

João Ivo dos Reis

Nasceu em 21 de novembro de 1951, filho de Gaspar Caldas de Abreu e Arleci Bertão de Abreu. Viveu sua infância, adolescência e parte de sua juventude no Bairro Estiva, bairro rural de Pedralva.

Estudou o primário da escola Coronel Gaspar e fez a quinta série na Escola Estadual Comendador Mário Goulart Santiago.

Desde menino ajudava sua família nos afazeres da roça, no plantio de arroz e feijão e a tirar leite.

É pai de três filhos: Ângela Maria, Luciano e Gaspar.

Aos vinte anos de idade veio morar na cidade e começou a trabalhar na Prefeitura, executando serviços de manutenção das estradas rurais e também no setor urbano. Nesta função, trabalhou por vinte e cinco anos. Por ser um excelente funcionário, foi colocado para trabalhar como motorista de ambulância, trabalho que executou por dez anos, até se aposentar.

Sempre foi muito elogiado como motorista, pois era prestativo e atendia muito bem a população, mesmo trabalhando em um veículo sem conforto para os pacientes. Transportava pacientes para tratamento em várias cidades, dentre elas Itajubá, Santa Rita e Pouso Alegre.

Sempre recebia elogios do prefeito da época, senhor Dailton de Paula e Silva, com quem teve o privilégio de trabalhar em todos os seus mandatos.

 

José Edson Gomes

O Edinho, nasceu em 18 de março de 1952, na cidade de Pedralva. Ele é o primeiro de uma série de doze filhos do casal Maria José Piazza Siqueira, a Dona Zezé, e José Gomes de Siqueira, o Zezinho Gomes, já falecido, que foi pequeno proprietário rural, no bairro Jabuticabal. Zezinho lavrava a própria terra, juntamente com a esposa e com os filhos, entre eles, dez mulheres. Com muito esforço, suor e dificuldades, os pais conseguiram dar a formação em nível superior para todos os filhos.

Edinho, até aos 18 anos, residiu na zona rural, no bairro do Jabuticabal, onde estão plantadas suas raízes. Fez seus primeiros estudos na centenária Escola Coronel Gaspar. No Colégio de Pedralva, concluiu o Ensino Médio. Na FEPI, em Itajubá, cursou Estudos Sociais. Na UNINCOR, em Três Corações, cursou Geografia. Na Faculdade ASMEC, em Ouro Fino, fez Pedagogia, com habilitação em Administração Escolar e Inspeção Escolar. Em 1981, na cidade de Três Rios, estado do Rio de Janeiro, concluiu o curso de pós-graduação, em Geografia Econômica. Na Faculdade São Luís, de Jaboticabal-SP, cursou pós-graduação em Didática e Prática Pedagógica, em 1996.

Em 12 de janeiro de 1980, Edinho, casou-se com Maria Celina Abreu Gomes. Desta união vieram os filhos Raíssa e Bruno.

Em fevereiro de 1974, convidado pelo eminente Professor Cláudio de Sousa Bustamante, começou a lecionar no Colégio de Pedralva, o conteúdo de Geografia. O que seria uma substituição por apenas dois meses tornou-se uma atividade de educador permanente. Em Itajubá, lecionou o mesmo conteúdo, na Escola Estadual Major João Pereira, a partir de fevereiro de 1981, depois de ser aprovado em primeiro lugar na região, no concurso para Geografia no Ensino Médio. Na década de 1980, também foi professor de Geografia Econômica, em duas faculdades de Itajubá: na FEPI e na FACESM.

No dia 29 de abril de 1983, por ato publicado no Diário Oficial de Minas Gerais, José Edson Gomes, o Edinho, foi designado pelo Governador do Estado, Tancredo Neves, para a direção da Escola Estadual Comendador Mário Goulart Santiago, logo após a aposentadoria do Padre Machado. Naquela época, o cargo de diretor era em comissão e escolhido pelo governador. No final de 1991, essa situação mudou. Em todo Estado de Minas, foram realizadas as primeiras eleições para o preenchimento dos cargos de direção das escolas estaduais, com a participação efetiva da comunidade escolar, representada por professores, servidores, pais e alunos. Assim, concorrendo ao cargo com mais dois professores, Edinho tornou-se o primeiro diretor eleito da história do Colégio. O mandato foi de dois anos.

Durante os 11 anos de sua gestão na escola, contando com o apoio dos professores e servidores, o ensino foi revigorado. Ele deu toda força também para o curso de Magistério, implantado no ano de 1982, formando muitos professores para os anos iniciais do Ensino Fundamental. O número de turmas e alunos da escola também dobrou no período em que foi diretor. De 15 turmas e 450 alunos, em 1983, passou, em 1993, para 29 turmas e 900 alunos. Na sua gestão, a partir de 1984, também foi implantado, de forma definitiva, o ensino noturno na escola. Ainda foram criados o Grêmio Estudantil e a Associação de Pais e Mestres.

Em setembro de 1984 foi realizada uma reforma geral na quadra de esportes. O piso de tijolo, colocado desde a construção da mesma, em setembro de 1962, foi retirado e trocado por um novo piso de concreto. Em 1986, com recursos do Governo do Estado, toda a escola foi reformada. Em 1993, com mão de obra cedida pela prefeitura, com recursos do Estado e doações de muitos ex-alunos, a escola passou por outra reforma: todo o telhado do pavilhão principal, que era de amianto, foi substituído por telhas romanas, com novo engradamento, forro e substituição da rede elétrica.

Em julho de 1992, na comemoração dos 40 anos do Colégio, Edinho promoveu o Torneio de Férias “Professor Raimundo Martins”, homenageando o grande mestre, criador e incentivador do futsal, em Pedralva. No final da competição, dia 31 de julho, foram colocadas em quadra as duas gerações dos CANARINHOS que tantas glórias trouxeram para Pedralva. A geração da década de 1960, campeã na Olimpíada da Campanha, em 1963, e a geração da década de 70, ganhadora de vários títulos na região, como a Olimpíada da Primavera, em Itanhandu. 

Em agosto de 1993, lembrando do grande idealizador do Colégio, o Comendador Mário Goulart Santiago, Edinho, através do Jornal “O Centenário”, lançou a ideia de se erguer um busto em homenagem perene a esse grande homem público. A estátua seria colocada em frente ao estabelecimento que leva o seu nome, no Colégio, numa prova inegável de que o povo de Pedralva é reconhecido ao seu grande líder do passado. Em julho 1994, durante uma sessão solene, realizada na Câmara Municipal, em homenagem ao centenário de nascimento do Sr. Mário Goulart Santiago, foi aprovado um projeto de lei permitindo ao Executivo a construção desse monumento histórico. O prefeito da época, Antonio Eloísio Gomes, sancionou a Lei nº 995, em 22 de agosto de 1994, autorizando a municipalidade a erguer o busto. Até hoje, 22 anos passados, tal lei não teve efeito prático.

No final de 1993, nova eleição para diretor do Colégio. Edinho resolveu não participar do processo de escolha. Permaneceu na direção até o dia 28 de janeiro de 1994. Em seguida, reassumiu o seu cargo efetivo de professor de Geografia no mesmo Colégio. No dia 30 de setembro de 1994, depois de 20 anos de serviços prestados, deixou a escola para assumir a função de Inspetor Escolar na Superintendência Regional de Ensino de Itajubá.

No ano 2.000, transferiu-se para a Superintendência de Ensino de Caxambu, onde atuou como Coordenador dos Inspetores Escolares. 

De janeiro de 2.001 a dezembro de 2.004, foi designado pelo prefeito Tói, para a Secretaria Municipal de Educação de Pedralva.

Em julho de 2005, Edinho voltou para Superintendência de Ensino de Itajubá. Fez novo concurso e foi aprovado em primeiro lugar na Regional para o cargo de Inspetor Escolar.

Em fevereiro de 2017, Edinho completará 43 anos de trabalho na área educacional.  

Além da Educação, Edinho é um apaixonado pelo Jornalismo. Sua paixão pelo jornalismo começou bem cedo, na década de 1960, aos doze anos, pelas páginas do “Jornal do Brasil,” o famoso JB, a partir da Coluna do Castello, escrita pelo jornalista Carlos Castello Branco. Lia, também, todas as publicações referentes ao governador do antigo Estado da Guanabara, o político e jornalista Carlos Lacerda, da UDN, de quem herdou a influência udenista.

Há 35 anos assina dois jornais diários: Estado de Minas e Folha de São Paulo. Em todas as viagens que faz, quando chega a qualquer cidade, sua primeira preocupação é comprar o jornal daquela localidade. Através da internet, também acompanha as publicações de outros jornais do país. Mas seu entusiasmo mesmo é pelo jornal impresso.

Ao lado do Chinho, do Aécio, do Professor Cláudio e do Professor José da Costa Paiva, participou ativamente de várias reuniões para a fundação do Jornal “O Centenário”. A partir de março de 1.989, iniciou sua participação como colunista, sendo responsável, primeiramente, pelo espaço político denominado SUMÁRIO, quando fazia um relato sobre as reuniões da Câmara Municipal de Pedralva. Também é o responsável pela Coluna Social. Em março de 2009, criou, a coluna “Filho da Terra”, onde já contou a história de vida de muitos personagens pedralvenses.

Hoje, contando com a presidência do Professor José Jandir Braga, tendo outros parceiros na Diretoria, o Jornal O CENTENÁRIO continua firme no seu propósito de ser a memória viva da História de Pedralva.

Em janeiro de 2017, “O Centenário”, celebra seus 30 anos de circulação.  Ao longo destes anos, o Edinho deu vida para o Jornal. Além de trazer-lhe a inovação, consegue, em suas páginas, descrever os sentimentos do cidadão comum. Foi seu trabalho obstinado, sua persistência, suas muitas noites indormidas que levam à celebração das Bodas de Pérola, no próximo mês de janeiro de 2017.

Como referência para Pedralva, o Jornal O Centenário abre espaços para a nossa gente simples, analistas do cotidiano, para os artistas e firma sua relevância na vida cultural do município. E é a persistência do Edinho que mantém vivo um projeto construído a muitas mãos, muitas cabeças e muitos corações, mas com uma coisa em comum: a ideia de que, se “nós passamos, mas Pedralva fica”, é preciso registrar. É preciso que alguém continue a contar a história desse lugar.

 

Marcos Ulisses da Silva

É Pedralvense, nascido em 10 de fevereiro de 1970, filho de Ildeu Amauri da Silva e Maria Celina Maglioni Silva. Casado com Maria Luciana Silveira Silva e tem um filho, Douglas Silveira Silva.

Em 1987, cursando a sétima série do ensino fundamental, foi monitor do professor Zé Rosinha, no período da tarde, onde compartilhava exercícios de Matemática com meus colegas. Quiz o destino, que se tornasse professor.

Em 1991, concluí o ensino médio na Escola Estadual Comendador Mário Goulart Santiago, em Pedralva. No ano seguinte, prestou vestibular na FEPI, Fundação de Ensino e Pesquisa de Itajubá e iniciou o Curso de Matemática, que concluiu em 1994.

Em 1993, quando ainda aluno da FEPI, cursando o 2º ano, foi designado para o cargo de professor do ensino fundamental, na Escola Estadual Comendador Mário Goulart Santiago.

Em 1995, foi selecionado para o curso de Pós-Graduação Lato Sensu, em Matemática, pela UFOP (Universidade Federal de Ouro Preto). Em 1997, Concluí o curso de Pós-Graduação pela Federal.

Em 2005, foi designado para exercer a função de Secretário da Escola Estadual Comendador Mário Goulart Santiago, em substituição de férias da Mônica Osório, por um período de seis meses

Em fevereiro de 2006, foi designado para exercer a função de Vice-Diretor até julho de 2007.

Em 2008, foi eleito para a função de Vice-Diretor, ficando no cargo até o dia 13 de setembro de 2011, saiu porque foi exonerado pelo governador, pelo fato de ter participado de greve. A partir de então, voltou a lecionar o conteúdo de matemática no colégio.

Em 2012, foi eleito pra compor a Diretoria do Clube de Campo de Pedralva, como tesoureiro. Cargo que exerceu até 2015.

Em 2003, em sociedade com meu Irmão Wagner, abriram uma micro empresa, com a finalidade de prestar serviços de informática à população.

Idéia essa que foi se expandindo, diante da necessidade de colocar um provedor de acesso à internet em Pedralva, para colocar Pedralva na era da informática. Procuraram parceria em Itajubá, que foi firmada com a empresa Projesom. Foi instalada internet em Pedralva e o serviço foi divulgado para a população. Com esta parceria permaneceu por 2 anos.

Em 2004, montaram o Provedor de Acesso a Internet - StoneNET, a mais de 12 anos no mercado, que hoje tem 4 funcionários dedicados e com responsabilidade, para prestar serviço a população. Está presente não só na área urbana de Pedralva, mas em quase todos os bairros de Pedralva, levando aos lares dos clientes, mais entretenimento, material de pesquisa para seus filhos, diversão pra família Pedralvense, conhecimento e interatividade para todos.

 

Miguel Sérgio Piazza

Nasceu em 29 de fevereiro de 1948, em uma família simples de dez irmãos, filho de Miguel Piazza e Eliza Brandani Piazza, descendentes de Italianos.

Levou uma vida muito sacrificada quando, aos sete anos de idade, ficou enfermo, mas conseguiu vencer as dificuldades.

Aos 27 dias do mês de junho de 1973 montou uma funerária, empresa essa que possui até os dias atuais.

Casou-se em 1974 com Ediméia Ribeiro Piazza e tiveram quatro filhos: Elisandréia, Sérgio Henrique, Elisangela e Messias; quatro netos, e um filho de criação, Rafael.

Em 1988, montou a loja Magazine Santa Edwirges, a qual possui até os dias atuais, e agradece sempre a preferência de seus fregueses.

Em 1983, juntamente com o senhor Tiago Carneiro saiu pedindo donativos para construção de dois quartos na casa dos velhinhos, um para Madrinha Golica e outro para Dona Mariinha, irmã do senhor Toquinho, e para aumentar a construção da lavanderia. Com o restante do dinheiro, construíram a casa do Antonio Rabudo, em frente ao cemitério e a casa para Carmim Bonafé, no Bairro Bica, onde hoje mora a família do senhor Joaquim, ex-funcionário da prefeitura.

Em 1985 e 1986 foi presidente do conselho Intermunicipal de Pedralva, o qual fazia parte as cidades de Piranguçu, Conceição das Pedras e Pedralva. Também foi Presidente do PRN, Partido do Color de Melo.

De 1990 a 1992, foi presidente do Clube de Campo de Pedralva, o qual se encontrava em situação precária. Em sua gestão trocou toda a cobertura em madeira por estrutura metálica, realizou muitos bailes  country, bailes sociais, concursos de Missis, e comemorou os aniversários do Clube com eventos, para alegria de todos os sócios. Ao final de seu mandato, deixou o clube com dinheiro em caixa, conforme consta no balancete publicado no Jornal O Centenário de janeiro de 1992, Edição nº 43.

Em 1993, foi presidente do Lar da Criança, que naquela época atendia 62 crianças. Com seu trabalho conseguiu que fosse calçada a Rua Frei Orestes Girard, Rua de acesso ao Lar da Criança, para melhorar o acesso aquela instituição e ao poliesportivo. Naquela instituição promoveu vários bailes country e sociais e comprou mesas e cadeiras para realização de festas e dois freezers da Casa Dias em Itajubá. Ao final de seu mandato deixou o Lar da Criança atendendo 223 crianças, quase 2.000 latas de óleo na dispensa e dinheiro em caixa. Um trabalho feito junto com sua esposa, com muito esforço, pois naquela época a instituição não recebia subvenção da prefeitura e contava apenas com a ajuda das pessoas caridosas de Pedralva.

Foi, voluntariamente, parceiro da diretoria da Santa Casa na época em que o Lalado Carneiro foi provedor. Nesse trabalho, saiu pedindo donativos e conseguiu 89 bezerros, com os quais realizou um leilão. Conseguiu também vários sacos de café, três caminhões de areia e três milheiros de tijolos.

Foi membro da diretoria da Santa Casa quando foi provedora a senhora Graça Bustamante.

Foi vice-provedor na gestão do provedor Hamilton Caldas, ocasião em que conseguiu doações em dinheiro e sacas de café, doados pelos produtores rurais de Pedralva.

Voltou a assumir a presidência do Clube de Campo, para ajudar a acertar os problemas do Clube, quando o presidente do Clube era o senhor Erivelto, pois naquela época era vice-presidente.

Em 2000, ingressou na política disputando as eleições para vereador e foi eleito, assumindo o cargo para o mandato de 1º de janeiro de 2001 a 31 de dezembro de 2004. Nesta legislatura, trabalhou para serem construídos vários abrigos na beira do asfalto desde o Bairro Pedra Batista até o Bairro Barra Mansa. Também conseguiu reduzir o valor da passagem de ônibus da linha Pedralva ao Bairro Rezende, feita pela Viação Sartori. Aquele ajuste foi feito para equiparar ao valor que era cobrado na linha Paulino Paixão a Pedralva.Esta conquista também foi registrada no Jornal O Centenário em julho de 2002, Edição nº 169. Conseguiu que fosse instalado um orelhão no Bairro Paulino Paixão. Conseguiu que a Prefeitura enviasse ao Bairro Pedrão 1.800 metros de mangueira de 2 polegadas para melhorar a distribuição de água para os moradores daquele bairro. Essa conquista também foi registrada no Jornal O Centenário em março de 2003, Edição 177

Disputou novamente as eleições municipais no ano de 2004, tendo sido reeleito em outubro daquele ano como o mais votado do PSDB. Tomou posse do novo mandato como vereador em 1º de janeiro de 2005. Nesse mandato continuou seu trabalho como líder da Bancada do PSDB na Câmara, apresentando e aprovando leis e requerimentos em benefício da população.

 

Sebastião Bonette.

Popularmente conhecido como Tião Maravilha, nasceu em 06 de abril de 1952 nesta cidade de Pedralva, filho de Jovino Bonette e Aparecida Faria Bonette, casado com Lucinéia Faria e pai de dois filhos, Jonathan e Júlia. Comerciante há 40 anos na cidade, dono da “Quitanda Maravilha”.

O apelido foi dado através do seu sucesso no futebol, lembrando o ex-jogador Fio Maravilha. Foi tricampeão pelo campeonato de futebol do Bairro Bicas. E sempre participou e participa na área do esporte do município, tanto no futebol quanto em outras modalidades.

Foi presidente do Clube de Campo de Pedralva por 2 anos. Autor de 4 festivais sertanejos em festas juninas na cidade, com a ajuda dos ex-prefeitos Lissinho e Luiz Costa.

Ingressou na vida política em 1988 pelo antigo partido PFL, obtendo seu primeiro mandato de vereador em 1995, e desde então contabilizou em seu curriculum 4 mandatos de vereador e 1 de vice-prefeito, e nos anos de 2011/2012 assumiu a presidência desta Casa legislativa de Pedralva.

Em 2004, foi contemplado pelo Instituto Municipalista Brasileiro como destaque nacional no legislativo municipal, pelo reconhecimento dos relevantes trabalhos realizados em prol do desenvolvimento de seu município.

Tião Maravilha sempre atuou em sua vida pública e particular em benefício da comunidade. Não só cumpriu sua função de vereador, legislando e fiscalizando os atos do poder executivo, mas também teve o diferencial de ir em busca de verbas para melhorias no município, através do apoio de aliados políticos, deputados federais e estaduais. Dentre essas verbas e melhorias conquistadas, destaca:

- Aquisição de ambulância para secretária de saúde, cadeiras de rodas e cobertores, através do dep. Vittorio Medioli;

- Sugeriu a necessidade de 20 mil reais para associação da Bica e, buscando ajuda do deputado Marcos Lima, conseguiu angariar a quantia;

- 110 mil reais para o calçamento dos bairros Pedra Preta, Lagoa e Pedrão, através do deputado Ciro Pedrosa;

- 300 mil reais para fazer uma quadra poliesportiva na Escola Professor Arcádio do N. Moura via prefeitura, através do dep. Ciro Pedrosa, porém, a verba voltou por conta do prefeito em exercício;

- Ônibus escolar médio, do programa caminho da escola, através do deputado Carlaile Pedrosa;

Sempre buscou apoiar seus colegas em projetos e votações a favor do bem de nossa cidade, se fazendo presente e atuante, cumprindo com êxito e proficiência suas funções. No ano de 2011, apresentou projeto de lei, aprovado por unanimidade, que se tornou a lei número 1.535/11, que estabelece normas para a realização de serviços para pesquisas de opinião pública no município de Pedralva.

Em 2012, quando presidente desta Casa, repassou 15 mil reais ao prefeito, com finalidade de investimento na Santa Casa de Pedralva, quantia que na ocasião se fazia necessária para que esta mesma instituição debitasse dívidas frente a previdência social, e, uma vez realizado o pagamento, a Santa Casa estaria apta a receber do governo do Estado a doação de um aparelho de Raio X.

Em janeiro de 2015, mesmo não estando em exercício, através de um grande amigo assessor, foi informado que havia verbas sociais de Furnas, logo, encaminhou ao lar da criança para providenciar o projeto e os papéis para enviar a empresa. Sendo assim, em janeiro de 2016, a entidade foi contemplada com 28 mil reais para reformas internas.

Tião Maravilha se destacou e ainda vem se destacando através do seu papel de cidadão em nosso município, com seu jeito humilde e honesto, sempre disposto a ajudar o próximo e toda a sociedade, e mesmo não estando em exercício nesta Casa, cumprirá e continuará fazendo o possível para que seus trabalhos sejam sempre em prol da melhoria de nossa cidade.

 

 Sebastião Tarcísio Raimundo

Nasceu em 15 de fevereiro de 1951, em Pedralva – MG. Filho de José Raimundo Filho e de Sebastiana Maria Raimundo. Casado com Maria Magda de Jesus Raimundo e tem duas filhas: Maraísa e Luciane.

Em 1983, formou em engenharia civil pela Faculdade de Engenharia Civil de Itajubá, com licenciatura em matemática e física pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Itajubá.

Tem formação técnica em corretagem de imóveis, no Rio de Janeiro.

Atua como professor de matemática e física na Escola Estadual Comendador Mário Goulart Santiago, em Pedralva, onde atuou como vice-diretor.

Também lecionou na Escola Estadual Professor Arcádio do Nascimento Moura, no ano de 2004.

Foi presidente da associação de moradores do Bairro Bica.

Iniciou sua carreira musical na década de 60, como músico amador e instrumentista, com opção pelo violão.

Compositor e autor de músicas populares e religiosas, com premiações em vários festivais.

Em dezembro de 1999, venceu o concurso para a criação e oficialização de um Hino para o Município de Pedralva, que tem como título Hino Municipal de Pedralva.

Aos 13 de julho de 2003, em comemoração ao aniversário da Instalação Canônica da Paróquia São Sebastião, conquistou o primeiro lugar no concurso para a escolha do Hino da Paróquia de São Sebastião de Pedralva.

Foi coordenador do grupo de jovens JUCAPE – Juventude Católica de Pedralva e da PRÉ_JUCAPE, formado por adolescentes, por aproximadamente 15 anos, à partir de 1973.

Juntamente com sua esposa, foi coordenador da Pastoral Familiar Paroquial, por cerca de nove anos e coordenador da Pastoral Familiar Diocesana por seis anos, atuando em 35 paróquias.

É membro do grupo de chorinho “chorões da Pedra Branca” e baixista no Coral “Vozes da Terra”.

 

al  se reuniu em sessão solene para mais uma edição da entrega da "Medalha do Mérito Legislativo" a cidadãos de Pedralva.

A outorga da Medalha do Mérito Legislativo é uma homenagem que o Poder Legislativo presta, anualmente, a pessoas, indicadas pelos vereadores em exercício, que tenham se destacado por sua atuação em benefício da comunidade e por sua atuação exemplar na vida pública e particular. 

Foram 8 cidadãos homenageados: Herculano Ribeiro de Oliveira, Jaime Sevilo Vilas Boas, João Ivo dos Reis, José Edson Gomes, Marcos Ulisses da Silva, Miguel Sérgio Piazza, Sebastião Bonette e Sebastião Tarcísio Raimundo.

Histórico:

 

Herculano Ribeiro de Oliveira

Nasceu em 31 de outubro de 1951, no Bairro Sertãozinho, filho de José Ribeiro de Carvalho e Maria Oliveira de Carvalho. Possui 13 irmãos, sendo 11 homens e 2 mulheres.

Estudou até a quarta séria na escola do Bairro Sertãozinho, que na época se chamava escola Dona Josefina, tendo sido sua professora a senhora Sonia Rezende Abreu. Após concluir a quarta série, fez um curso que foi ministrado no bairro pela senhora Marlene José de Carvalho.

Começou a trabalhar na roça desde pequeno, com 7 anos já ajudava seu pai a capinar milho, feijão, fumo e arroz. Também ajudava a tirar leite. Aos 16 continuava ajudando sua família nos afazeres da roça, ao mesmo tempo que começou a mansar boiada e arar terra para o plantio.

Em 1973, foi para São José dos Campos, onde trabalhou na Fiel, fábrica que produzia fios para diversas finalidades. Lá ficou por pouco tempo e retornou para a roça.

Aos 24 anos, casou-se com Clarisse Aparecida Ribeiro e tiveram um casal de filhos: Andréia Ribeiro Abreu, casada com Roberto Rezende Abreu, e André Fernando Ribeiro, casado com Michelle Alencar Ribeiro. Possui 3 netinhos: Rafael Ribeiro Abreu, Mikael Gaspar Ribeiro Abreu, Raberta Caldas Ribeiro Abreu, filhos de Andréa.

Depois de casado, trabalhou na lavoura de arroz e, neste período, na época da seca, trabalhou como pedreiro na construção de casas para diversas pessoas do Bairro Sertãozinho, de outros Bairros, da cidade e até da cidade de São José do Alegre.

Alguns anos depois, mudou de profissão, passando a dedicar a lavoura de café e banana e a criação de gado. Atividades que exerce até hoje.

Entrou para a polícia em 2000, quando se candidatou ao cargo de vereador pelo PFL, sendo eleito para o mandato de 2001 a 2004, com 182 votos. Durante seu mandato trabalhou em prol do Bairro Sertãozinho, conseguindo a construção de uma ponte de laje, para um local onde havia uma ponte muito precária. Também batalhou e conseguiu a construção de uma quadra de esporte, reforma do grupo escolar, e reforma de 4 pontes com a instalação de manilhão.

Apresentou vários requerimentos e indicações cobrando do executivo melhorias para o município, inclusive pleiteou junto ao DER construção de abrigos em toda extensão da rodovia que corta o Município de Pedralva e a pintura de faixas de sinalização no asfalto, que naquela época não existia.

Foi autor do requerimento que solicitou ao prefeito da época, que fosse feita coleta de lixo na zona rural, tendo seu requerimento sido executado.

Foi festeiro por duas vezes da Festa de São Benedito, realizada no Bairro Sertãozinho. Também foi festeiro da Festa de São Sebastião, na paróquia da cidade.

 

Jaime Sevilo Barbêdo

O popular Jaiminho, nasceu no dia 11 de maio de 1965 no bairro das pitangueiras, município pertencente à cidade de pedralva, localizada no estado de minas gerais. Filho de Evaristo Clemente Barbêdo e Maria Vilas Bôas Barbêdo. Jaime veio ao mundo com o auxílio de sua madrinha Ana Vilas Bôas, conhecida como dona Nina do senhor Inácio, que realizou o parto em sua mãe.

Jaiminho desde sua infância é uma pessoa carismática, dedicada, prestativa, atenciosa, caprichosa e com um coração enorme para atender sua família, comunidade e o povo de forma geral.

Com sete anos de idade, Jaiminho iniciou seu estudo na escola que na época era chamada escola estadual do bairro pitangueiras, que depois, através de leis, resoluções e portarias da SEE (Secretaria de Estado de Educação)  e CEE ( conselho estadual de educação) foi municipalizada e recebeu uma nova nomenclatura a qual é atualmente: escola municipal Abel Evaristo de Villas Bôas.

Jaiminho era um aluno muito alegre, carismático, humorista, obediente, caprichoso, inteligente, detalhista e muito amoroso para com as professoras Benedita Ferreira Vilas Bôas e também a saudosa Irene Ferreira Vilas Bôas e coleguinhas. As professoras eram muito carinhosas, penteavam seu cabelinho, o pegavam no colo e demonstravam muito carinho, amor e afeto por ele. Jaiminho mostrava entusiasmo, sorrizo e prazer ao realizar as atividades propostas pelas professoras. Gostava muito de desenhar e expressar toda sua criatividade e imaginação através da arte. Adorava viajar, refletir e mergulhar profundamente no mundo da fantasia, do faz de conta e do famoso era uma vez contidos nas histórias de fadas, aventuras e de encantamento. Jaiminho ficava admirado  ao ver a professora contando história com sua entonação de voz doce, meiga e principalmente mágica. O silêncio na sala de aula durante a contação de historia era o momento oportuno para jaiminho ouvir, apreciar os fatos e cenas das histórias, sentia-se como um personagem da própria história contada.

Jaiminho gostava também da disciplina de matemática, de colocar em prática toda sua capacidade de raciocinar, pensar e planejar. Em suas primeiras continhas ele contava nos dedinhos, continhas estas que são de mais de menos e depois de multiplicação e de divisão. Jaiminho adorava calcular e fazer de seu caderninho uma verdadeira fonte de aprendizagem.

Na disciplina de história jaiminho gostava de recordar e aprender os movimentos, lutas e processos que aconteceram na história brasileira, gostava de cantar o hino nacional e fazer parte das apresentações históricas e culturais que tinham na escola, como por exemplo, teatros e hasteamento da bandeira.

Nas aulas de ciências e estudos socais jaminho adorava aprender os fatos e acontecimentos que aconteciam em seu país, região, estado, sua cidade e em seu bairro, como também adquirir conhecimentos sobre os fenômenos da natureza.

Quando chegava da escola, jaiminho ajudava seu pai a mexer com a criação, puxando trato para as vacas lá do bairro albertão que desde criança tem grande amor e amizade pelo povo daquela comunidade e também gostava muito de ajudar seu pai a engarrafar pinga no engenho que fabricava a famosa “pinga rádio” que até hoje várias pessoas daquela época ainda perguntam se existe a famosa pinga rádio”.

O pai de jaiminho adorava sua companhia na entrega da pinga em vários lugares, tais como, bairro fagundes, em São José do Alegre, Santa Rita do Sapucaí e na venda do senhor João Cota localizada no bairro contendas.

Depois de ajudar seu pai, jaiminho gostava de brincar de carrinho com seus amiguinhos e fazia até o barulhinho da buzina e do motor do carro em sua boca, desfrutando e vivendo aquele momento tão real, fantástico em sua vida. Que infância... !

Jaminho gostava muito de ajudar sua mãe quando arrumava e mexia com porco, pegava uma coisa pegava outra, corria pra lá e corria pra cá, ficava o tempo inteiro perto de sua mâe auxiliando-a no que era necessário, e comendo carne toda hora, sem ao menos prepará-la, ao redor do taxo num fogãozinho feito de tijolos e a lenha! Era uma grande alegria de sua mãe!

Gostava de frequentar a casa de seu tio Noé para assistir novelas, que até então era o único morador do bairro que tinha televisão naquela época. Jaiminho ajudava no circo “pavilhão em visitalma” em pitangueiras na venda de pirulitos, pipocas e doces e também adorava assistir a um espetáculo!

Quando jovem ajudava seu pai na lavoura de café, banana e cana de açúcar e no plantio de milho e outros derivados da agricultura.

Em 11 de maio de 1991 casou-se com Ana Maria Rangel Barbêdo,  com quem teve dois filhos Paulo Evaristo Barbêdo e Mariéli de Paula Barbêdo e junto com sua esposa continuou a trabalhar no campo com lavoura em regime de economia familiar.

Em 13 de junho de 1999 construiu em homenagem à sua mãe o santo cruzeiro do bairro pitangueiras com inauguração de uma procissão da capela Santa Luzia até o morro do cruzeiro, onde foi celebrada a santa missa pelo padre Edvar Rodrigues Rangel e de lá pra cá todo ano na sexta feira santa é feita uma procissão da cruz até o alto do cruzeiro, com a participação de vários padres de várias congregações, como diocesana, agostiniana e redentorista.

Em 1999, jaiminho foi nomeado no cargo de tesoureiro do CPCR (conselho pastoral comunitário rural) na comunidade Santa Luzia, no bairro pitangueiras, onde ficou por 12 anos na mesma função.

Em 2000 foi eleito para o cargo de vereador no mandato de 2001 a 2004.

Nos anos de 2001 á 2006 foi ministro da extraordinária comunhão.

Em 2002 conversou com várias pessoas da comunidade e visitou várias casas do bairro convidando para a reunião que iria tratar sobre a formação da associação comunitária do bairro pitangueiras, onde esteve presente mais de 100 pessoas e foi o indicado como tesoureiro da associação comunitária do bairro pitangueiras.

Em 2004 foi reeleito para o cargo de vereador para o mandato de 2005 a 2008.

Em 2008 foi eleito para o cargo de vice-prefeito para o mandato de 2009 a 2012.

Em 2012 foi eleito para o cargo de vereador para o mandato de 2013 a 2016.

João Ivo dos Reis nasceu em 21 de novembro de 1951, filho de Gaspar Caldas de Abreu e Arleci Bertão de Abreu. Viveu sua infância, adolescência e parte de sua juventude no Bairro Estiva, bairro rural de Pedralva.

Estudou o primário da escola Coronel Gaspar e fez a quinta série na Escola Estadual Comendador Mário Goulart Santiago.

Desde menino ajudava sua família nos afazeres da roça, no plantio de arroz e feijão e a tirar leite.

É pai de três filhos: Ângela Maria, Luciano e Gaspar.

Aos vinte anos de idade veio morar na cidade e começou a trabalhar na Prefeitura, executando serviços de manutenção das estradas rurais e também no setor urbano. Nesta função, trabalhou por vinte e cinco anos. Por ser um excelente funcionário, foi colocado para trabalhar como motorista de ambulância, trabalho que executou por dez anos, até se aposentar.

Sempre foi muito elogiado como motorista, pois era prestativo e atendia muito bem a população, mesmo trabalhando em um veículo sem conforto para os pacientes. Transportava pacientes para tratamento em várias cidades, dentre elas Itajubá, Santa Rita e Pouso Alegre.

Sempre recebia elogios do prefeito da época, senhor Dailton de Paula e Silva, com quem teve o privilégio de trabalhar em todos os seus mandatos.

 

José Edson Gomes

O Edinho, nasceu em 18 de março de 1952, na cidade de Pedralva. Ele é o primeiro de uma série de doze filhos do casal Maria José Piazza Siqueira, a Dona Zezé, e José Gomes de Siqueira, o Zezinho Gomes, já falecido, que foi pequeno proprietário rural, no bairro Jabuticabal. Zezinho lavrava a própria terra, juntamente com a esposa e com os filhos, entre eles, dez mulheres. Com muito esforço, suor e dificuldades, os pais conseguiram dar a formação em nível superior para todos os filhos.

Edinho, até aos 18 anos, residiu na zona rural, no bairro do Jabuticabal, onde estão plantadas suas raízes. Fez seus primeiros estudos na centenária Escola Coronel Gaspar. No Colégio de Pedralva, concluiu o Ensino Médio. Na FEPI, em Itajubá, cursou Estudos Sociais. Na UNINCOR, em Três Corações, cursou Geografia. Na Faculdade ASMEC, em Ouro Fino, fez Pedagogia, com habilitação em Administração Escolar e Inspeção Escolar. Em 1981, na cidade de Três Rios, estado do Rio de Janeiro, concluiu o curso de pós-graduação, em Geografia Econômica. Na Faculdade São Luís, de Jaboticabal-SP, cursou pós-graduação em Didática e Prática Pedagógica, em 1996.

Em 12 de janeiro de 1980, Edinho, casou-se com Maria Celina Abreu Gomes. Desta união vieram os filhos Raíssa e Bruno.

Em fevereiro de 1974, convidado pelo eminente Professor Cláudio de Sousa Bustamante, começou a lecionar no Colégio de Pedralva, o conteúdo de Geografia. O que seria uma substituição por apenas dois meses tornou-se uma atividade de educador permanente. Em Itajubá, lecionou o mesmo conteúdo, na Escola Estadual Major João Pereira, a partir de fevereiro de 1981, depois de ser aprovado em primeiro lugar na região, no concurso para Geografia no Ensino Médio. Na década de 1980, também foi professor de Geografia Econômica, em duas faculdades de Itajubá: na FEPI e na FACESM.

No dia 29 de abril de 1983, por ato publicado no Diário Oficial de Minas Gerais, José Edson Gomes, o Edinho, foi designado pelo Governador do Estado, Tancredo Neves, para a direção da Escola Estadual Comendador Mário Goulart Santiago, logo após a aposentadoria do Padre Machado. Naquela época, o cargo de diretor era em comissão e escolhido pelo governador. No final de 1991, essa situação mudou. Em todo Estado de Minas, foram realizadas as primeiras eleições para o preenchimento dos cargos de direção das escolas estaduais, com a participação efetiva da comunidade escolar, representada por professores, servidores, pais e alunos. Assim, concorrendo ao cargo com mais dois professores, Edinho tornou-se o primeiro diretor eleito da história do Colégio. O mandato foi de dois anos.

Durante os 11 anos de sua gestão na escola, contando com o apoio dos professores e servidores, o ensino foi revigorado. Ele deu toda força também para o curso de Magistério, implantado no ano de 1982, formando muitos professores para os anos iniciais do Ensino Fundamental. O número de turmas e alunos da escola também dobrou no período em que foi diretor. De 15 turmas e 450 alunos, em 1983, passou, em 1993, para 29 turmas e 900 alunos. Na sua gestão, a partir de 1984, também foi implantado, de forma definitiva, o ensino noturno na escola. Ainda foram criados o Grêmio Estudantil e a Associação de Pais e Mestres.

Em setembro de 1984 foi realizada uma reforma geral na quadra de esportes. O piso de tijolo, colocado desde a construção da mesma, em setembro de 1962, foi retirado e trocado por um novo piso de concreto. Em 1986, com recursos do Governo do Estado, toda a escola foi reformada. Em 1993, com mão de obra cedida pela prefeitura, com recursos do Estado e doações de muitos ex-alunos, a escola passou por outra reforma: todo o telhado do pavilhão principal, que era de amianto, foi substituído por telhas romanas, com novo engradamento, forro e substituição da rede elétrica.

Em julho de 1992, na comemoração dos 40 anos do Colégio, Edinho promoveu o Torneio de Férias “Professor Raimundo Martins”, homenageando o grande mestre, criador e incentivador do futsal, em Pedralva. No final da competição, dia 31 de julho, foram colocadas em quadra as duas gerações dos CANARINHOS que tantas glórias trouxeram para Pedralva. A geração da década de 1960, campeã na Olimpíada da Campanha, em 1963, e a geração da década de 70, ganhadora de vários títulos na região, como a Olimpíada da Primavera, em Itanhandu. 

Em agosto de 1993, lembrando do grande idealizador do Colégio, o Comendador Mário Goulart Santiago, Edinho, através do Jornal “O Centenário”, lançou a ideia de se erguer um busto em homenagem perene a esse grande homem público. A estátua seria colocada em frente ao estabelecimento que leva o seu nome, no Colégio, numa prova inegável de que o povo de Pedralva é reconhecido ao seu grande líder do passado. Em julho 1994, durante uma sessão solene, realizada na Câmara Municipal, em homenagem ao centenário de nascimento do Sr. Mário Goulart Santiago, foi aprovado um projeto de lei permitindo ao Executivo a construção desse monumento histórico. O prefeito da época, Antonio Eloísio Gomes, sancionou a Lei nº 995, em 22 de agosto de 1994, autorizando a municipalidade a erguer o busto. Até hoje, 22 anos passados, tal lei não teve efeito prático.

No final de 1993, nova eleição para diretor do Colégio. Edinho resolveu não participar do processo de escolha. Permaneceu na direção até o dia 28 de janeiro de 1994. Em seguida, reassumiu o seu cargo efetivo de professor de Geografia no mesmo Colégio. No dia 30 de setembro de 1994, depois de 20 anos de serviços prestados, deixou a escola para assumir a função de Inspetor Escolar na Superintendência Regional de Ensino de Itajubá.

No ano 2.000, transferiu-se para a Superintendência de Ensino de Caxambu, onde atuou como Coordenador dos Inspetores Escolares. 

De janeiro de 2.001 a dezembro de 2.004, foi designado pelo prefeito Tói, para a Secretaria Municipal de Educação de Pedralva.

Em julho de 2005, Edinho voltou para Superintendência de Ensino de Itajubá. Fez novo concurso e foi aprovado em primeiro lugar na Regional para o cargo de Inspetor Escolar.

Em fevereiro de 2017, Edinho completará 43 anos de trabalho na área educacional.  

Além da Educação, Edinho é um apaixonado pelo Jornalismo. Sua paixão pelo jornalismo começou bem cedo, na década de 1960, aos doze anos, pelas páginas do “Jornal do Brasil,” o famoso JB, a partir da Coluna do Castello, escrita pelo jornalista Carlos Castello Branco. Lia, também, todas as publicações referentes ao governador do antigo Estado da Guanabara, o político e jornalista Carlos Lacerda, da UDN, de quem herdou a influência udenista.

Há 35 anos assina dois jornais diários: Estado de Minas e Folha de São Paulo. Em todas as viagens que faz, quando chega a qualquer cidade, sua primeira preocupação é comprar o jornal daquela localidade. Através da internet, também acompanha as publicações de outros jornais do país. Mas seu entusiasmo mesmo é pelo jornal impresso.

Ao lado do Chinho, do Aécio, do Professor Cláudio e do Professor José da Costa Paiva, participou ativamente de várias reuniões para a fundação do Jornal “O Centenário”. A partir de março de 1.989, iniciou sua participação como colunista, sendo responsável, primeiramente, pelo espaço político denominado SUMÁRIO, quando fazia um relato sobre as reuniões da Câmara Municipal de Pedralva. Também é o responsável pela Coluna Social. Em março de 2009, criou, a coluna “Filho da Terra”, onde já contou a história de vida de muitos personagens pedralvenses.

Hoje, contando com a presidência do Professor José Jandir Braga, tendo outros parceiros na Diretoria, o Jornal O CENTENÁRIO continua firme no seu propósito de ser a memória viva da História de Pedralva.

Em janeiro de 2017, “O Centenário”, celebra seus 30 anos de circulação.  Ao longo destes anos, o Edinho deu vida para o Jornal. Além de trazer-lhe a inovação, consegue, em suas páginas, descrever os sentimentos do cidadão comum. Foi seu trabalho obstinado, sua persistência, suas muitas noites indormidas que levam à celebração das Bodas de Pérola, no próximo mês de janeiro de 2017.

Como referência para Pedralva, o Jornal O Centenário abre espaços para a nossa gente simples, analistas do cotidiano, para os artistas e firma sua relevância na vida cultural do município. E é a persistência do Edinho que mantém vivo um projeto construído a muitas mãos, muitas cabeças e muitos corações, mas com uma coisa em comum: a ideia de que, se “nós passamos, mas Pedralva fica”, é preciso registrar. É preciso que alguém continue a contar a história desse lugar.

 

Marcos Ulisses da Silva

É Pedralvense, nascido em 10 de fevereiro de 1970, filho de Ildeu Amauri da Silva e Maria Celina Maglioni Silva. Casado com Maria Luciana Silveira Silva e tem um filho, Douglas Silveira Silva.

Em 1987, cursando a sétima série do ensino fundamental, foi monitor do professor Zé Rosinha, no período da tarde, onde compartilhava exercícios de Matemática com meus colegas. Quiz o destino, que se tornasse professor.

Em 1991, concluí o ensino médio na Escola Estadual Comendador Mário Goulart Santiago, em Pedralva. No ano seguinte, prestou vestibular na FEPI, Fundação de Ensino e Pesquisa de Itajubá e iniciou o Curso de Matemática, que concluiu em 1994.

Em 1993, quando ainda aluno da FEPI, cursando o 2º ano, foi designado para o cargo de professor do ensino fundamental, na Escola Estadual Comendador Mário Goulart Santiago.

Em 1995, foi selecionado para o curso de Pós-Graduação Lato Sensu, em Matemática, pela UFOP (Universidade Federal de Ouro Preto). Em 1997, Concluí o curso de Pós-Graduação pela Federal.

Em 2005, foi designado para exercer a função de Secretário da Escola Estadual Comendador Mário Goulart Santiago, em substituição de férias da Mônica Osório, por um período de seis meses

Em fevereiro de 2006, foi designado para exercer a função de Vice-Diretor até julho de 2007.

Em 2008, foi eleito para a função de Vice-Diretor, ficando no cargo até o dia 13 de setembro de 2011, saiu porque foi exonerado pelo governador, pelo fato de ter participado de greve. A partir de então, voltou a lecionar o conteúdo de matemática no colégio.

Em 2012, foi eleito pra compor a Diretoria do Clube de Campo de Pedralva, como tesoureiro. Cargo que exerceu até 2015.

Em 2003, em sociedade com meu Irmão Wagner, abriram uma micro empresa, com a finalidade de prestar serviços de informática à população.

Idéia essa que foi se expandindo, diante da necessidade de colocar um provedor de acesso à internet em Pedralva, para colocar Pedralva na era da informática. Procuraram parceria em Itajubá, que foi firmada com a empresa Projesom. Foi instalada internet em Pedralva e o serviço foi divulgado para a população. Com esta parceria permaneceu por 2 anos.

Em 2004, montaram o Provedor de Acesso a Internet - StoneNET, a mais de 12 anos no mercado, que hoje tem 4 funcionários dedicados e com responsabilidade, para prestar serviço a população. Está presente não só na área urbana de Pedralva, mas em quase todos os bairros de Pedralva, levando aos lares dos clientes, mais entretenimento, material de pesquisa para seus filhos, diversão pra família Pedralvense, conhecimento e interatividade para todos.

 

Miguel Sérgio Piazza

Nasceu em 29 de fevereiro de 1948, em uma família simples de dez irmãos, filho de Miguel Piazza e Eliza Brandani Piazza, descendentes de Italianos.

Levou uma vida muito sacrificada quando, aos sete anos de idade, ficou enfermo, mas conseguiu vencer as dificuldades.

Aos 27 dias do mês de junho de 1973 montou uma funerária, empresa essa que possui até os dias atuais.

Casou-se em 1974 com Ediméia Ribeiro Piazza e tiveram quatro filhos: Elisandréia, Sérgio Henrique, Elisangela e Messias; quatro netos, e um filho de criação, Rafael.

Em 1988, montou a loja Magazine Santa Edwirges, a qual possui até os dias atuais, e agradece sempre a preferência de seus fregueses.

Em 1983, juntamente com o senhor Tiago Carneiro saiu pedindo donativos para construção de dois quartos na casa dos velhinhos, um para Madrinha Golica e outro para Dona Mariinha, irmã do senhor Toquinho, e para aumentar a construção da lavanderia. Com o restante do dinheiro, construíram a casa do Antonio Rabudo, em frente ao cemitério e a casa para Carmim Bonafé, no Bairro Bica, onde hoje mora a família do senhor Joaquim, ex-funcionário da prefeitura.

Em 1985 e 1986 foi presidente do conselho Intermunicipal de Pedralva, o qual fazia parte as cidades de Piranguçu, Conceição das Pedras e Pedralva. Também foi Presidente do PRN, Partido do Color de Melo.

De 1990 a 1992, foi presidente do Clube de Campo de Pedralva, o qual se encontrava em situação precária. Em sua gestão trocou toda a cobertura em madeira por estrutura metálica, realizou muitos bailes  country, bailes sociais, concursos de Missis, e comemorou os aniversários do Clube com eventos, para alegria de todos os sócios. Ao final de seu mandato, deixou o clube com dinheiro em caixa, conforme consta no balancete publicado no Jornal O Centenário de janeiro de 1992, Edição nº 43.

Em 1993, foi presidente do Lar da Criança, que naquela época atendia 62 crianças. Com seu trabalho conseguiu que fosse calçada a Rua Frei Orestes Girard, Rua de acesso ao Lar da Criança, para melhorar o acesso aquela instituição e ao poliesportivo. Naquela instituição promoveu vários bailes country e sociais e comprou mesas e cadeiras para realização de festas e dois freezers da Casa Dias em Itajubá. Ao final de seu mandato deixou o Lar da Criança atendendo 223 crianças, quase 2.000 latas de óleo na dispensa e dinheiro em caixa. Um trabalho feito junto com sua esposa, com muito esforço, pois naquela época a instituição não recebia subvenção da prefeitura e contava apenas com a ajuda das pessoas caridosas de Pedralva.

Foi, voluntariamente, parceiro da diretoria da Santa Casa na época em que o Lalado Carneiro foi provedor. Nesse trabalho, saiu pedindo donativos e conseguiu 89 bezerros, com os quais realizou um leilão. Conseguiu também vários sacos de café, três caminhões de areia e três milheiros de tijolos.

Foi membro da diretoria da Santa Casa quando foi provedora a senhora Graça Bustamante.

Foi vice-provedor na gestão do provedor Hamilton Caldas, ocasião em que conseguiu doações em dinheiro e sacas de café, doados pelos produtores rurais de Pedralva.

Voltou a assumir a presidência do Clube de Campo, para ajudar a acertar os problemas do Clube, quando o presidente do Clube era o senhor Erivelto, pois naquela época era vice-presidente.

Em 2000, ingressou na política disputando as eleições para vereador e foi eleito, assumindo o cargo para o mandato de 1º de janeiro de 2001 a 31 de dezembro de 2004. Nesta legislatura, trabalhou para serem construídos vários abrigos na beira do asfalto desde o Bairro Pedra Batista até o Bairro Barra Mansa. Também conseguiu reduzir o valor da passagem de ônibus da linha Pedralva ao Bairro Rezende, feita pela Viação Sartori. Aquele ajuste foi feito para equiparar ao valor que era cobrado na linha Paulino Paixão a Pedralva.Esta conquista também foi registrada no Jornal O Centenário em julho de 2002, Edição nº 169. Conseguiu que fosse instalado um orelhão no Bairro Paulino Paixão. Conseguiu que a Prefeitura enviasse ao Bairro Pedrão 1.800 metros de mangueira de 2 polegadas para melhorar a distribuição de água para os moradores daquele bairro. Essa conquista também foi registrada no Jornal O Centenário em março de 2003, Edição 177

Disputou novamente as eleições municipais no ano de 2004, tendo sido reeleito em outubro daquele ano como o mais votado do PSDB. Tomou posse do novo mandato como vereador em 1º de janeiro de 2005. Nesse mandato continuou seu trabalho como líder da Bancada do PSDB na Câmara, apresentando e aprovando leis e requerimentos em benefício da população.

 

Sebastião Bonette.

Popularmente conhecido como Tião Maravilha, nasceu em 06 de abril de 1952 nesta cidade de Pedralva, filho de Jovino Bonette e Aparecida Faria Bonette, casado com Lucinéia Faria e pai de dois filhos, Jonathan e Júlia. Comerciante há 40 anos na cidade, dono da “Quitanda Maravilha”.

O apelido foi dado através do seu sucesso no futebol, lembrando o ex-jogador Fio Maravilha. Foi tricampeão pelo campeonato de futebol do Bairro Bicas. E sempre participou e participa na área do esporte do município, tanto no futebol quanto em outras modalidades.

Foi presidente do Clube de Campo de Pedralva por 2 anos. Autor de 4 festivais sertanejos em festas juninas na cidade, com a ajuda dos ex-prefeitos Lissinho e Luiz Costa.

Ingressou na vida política em 1988 pelo antigo partido PFL, obtendo seu primeiro mandato de vereador em 1995, e desde então contabilizou em seu curriculum 4 mandatos de vereador e 1 de vice-prefeito, e nos anos de 2011/2012 assumiu a presidência desta Casa legislativa de Pedralva.

Em 2004, foi contemplado pelo Instituto Municipalista Brasileiro como destaque nacional no legislativo municipal, pelo reconhecimento dos relevantes trabalhos realizados em prol do desenvolvimento de seu município.

Tião Maravilha sempre atuou em sua vida pública e particular em benefício da comunidade. Não só cumpriu sua função de vereador, legislando e fiscalizando os atos do poder executivo, mas também teve o diferencial de ir em busca de verbas para melhorias no município, através do apoio de aliados políticos, deputados federais e estaduais. Dentre essas verbas e melhorias conquistadas, destaca:

- Aquisição de ambulância para secretária de saúde, cadeiras de rodas e cobertores, através do dep. Vittorio Medioli;

- Sugeriu a necessidade de 20 mil reais para associação da Bica e, buscando ajuda do deputado Marcos Lima, conseguiu angariar a quantia;

- 110 mil reais para o calçamento dos bairros Pedra Preta, Lagoa e Pedrão, através do deputado Ciro Pedrosa;

- 300 mil reais para fazer uma quadra poliesportiva na Escola Professor Arcádio do N. Moura via prefeitura, através do dep. Ciro Pedrosa, porém, a verba voltou por conta do prefeito em exercício;

- Ônibus escolar médio, do programa caminho da escola, através do deputado Carlaile Pedrosa;

Sempre buscou apoiar seus colegas em projetos e votações a favor do bem de nossa cidade, se fazendo presente e atuante, cumprindo com êxito e proficiência suas funções. No ano de 2011, apresentou projeto de lei, aprovado por unanimidade, que se tornou a lei número 1.535/11, que estabelece normas para a realização de serviços para pesquisas de opinião pública no município de Pedralva.

Em 2012, quando presidente desta Casa, repassou 15 mil reais ao prefeito, com finalidade de investimento na Santa Casa de Pedralva, quantia que na ocasião se fazia necessária para que esta mesma instituição debitasse dívidas frente a previdência social, e, uma vez realizado o pagamento, a Santa Casa estaria apta a receber do governo do Estado a doação de um aparelho de Raio X.

Em janeiro de 2015, mesmo não estando em exercício, através de um grande amigo assessor, foi informado que havia verbas sociais de Furnas, logo, encaminhou ao lar da criança para providenciar o projeto e os papéis para enviar a empresa. Sendo assim, em janeiro de 2016, a entidade foi contemplada com 28 mil reais para reformas internas.

Tião Maravilha se destacou e ainda vem se destacando através do seu papel de cidadão em nosso município, com seu jeito humilde e honesto, sempre disposto a ajudar o próximo e toda a sociedade, e mesmo não estando em exercício nesta Casa, cumprirá e continuará fazendo o possível para que seus trabalhos sejam sempre em prol da melhoria de nossa cidade.



 

 


 
Câmara Municipal de Pedralva-MG
Rua Paiva Júnior, nº 48, Centro - Pedralva/MG Cep 37520-000
Fone: (35)3663-1464 e 3663-1678
email: adm@pedralva.cam.mg.gov.br
www.pedralva.cam.mg.gov.br
   
  Versão 2.0